#GreveCaminhoneiros Paralisações e protestos acontecem em várias regiões do país

Levantamento preliminar aponta que as adesões ao movimento aconteceu nas cidades de Feira de Santana (BA), Fortaleza (CE), Recife (PE), Teresina (PI), Campina Grande (PB), João Pessoa (PB), Ijuí (RS), Uruguaiana (RS)  e município de Nova Mutum (Mato Grosso).

Por: Viviane Barbosa, da Redação da CNTTL
Publicação: 16/12/2019
Imagem de #GreveCaminhoneiros Paralisações e protestos acontecem em várias regiões do país

Ponte Uruguaiana RS fechada no dia 16/12 - Greve dos Caminhoneiros

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística (CNTTL) apoia a paralisação e os protestos legítimos dos irmãos caminhoneiros autônomos realizados em algumas localidades do país nesta segunda-feira (16). 

Levantamento preliminar aponta que as adesões ao movimento aconteceu nas cidades de Feira de Santana (BA), Fortaleza (CE), Recife (PE), Teresina (PI), Campina Grande (PB), João Pessoa (PB), Ijuí (RS), Uruguaiana (RS)  e município de Nova Mutum (Mato Grosso).

Em vídeo, Paulinho, presidente da CNTTL, afirmou que a greve dos caminhoneiros não estava sendo convocada pela entidade, mas que a pauta da categoria é legítima e, portanto, tem todo apoio da Confederação.

"O Governo Federal está descumprindo aquilo que foi conquistado na greve no governo anterior, como exemplos: o CIOT para todos (código criado para combater as ineficientes e injustas nas formas de pagamento do Frete, que entraria em vigor amanhã), além do não pagamento do piso mínimo do frete e a falta de fiscalização.  Esses são alguns dos compromissos do Ministro de Infraestrutura Tarcísio que ele não cumpriu", alerta Paulinho.

O sindicalista reitera que as pautas dos caminhoneiros são legítimas. "As  lideranças que estão conduzindo este movimento eu as conheço e têm capacidade de mobilização e paralisação. E nós da CNTTL contribuíremos no que for possível. Os caminhoneiros são de diálogo e o Governo Federal não pode ser intransigente. Deixamos claro que não é uma mobilização de esquerda ou de direita. As entidades representativas  têm que exigir e cobrar os direitos dos caminhoneiros", frisa o presidente da CNTTL. 

O caminhoneiro autônomo, Carlos Alberto Litti Dahmer, da cidade de Ijuí no Rio Grande do Sul, parou nesta segunda-feira (16) e reforçou que é importante a unidade tanto dos caminhoneiros autônomos como celetistas para pressionar o Governo Federal a respeitar e cumprir as lutas conquistadas pelos caminhoneiros nos últimos anos. "Precisamos juntar todos. Essa é luta é todos nós", frisou.


Saiba mais

Em vigência desde 2011, o CIOT (Código Identificador da Operação de Transportes)  foi criado para combater as ineficientes e injustas formas de pagamento de frete realizadas aos motoristas de transporte de cargas, como a carta frete. Desde a publicação da Resolução nº 3658 de 19/04/2011, o Governo pôs em prática uma série de regras que garantem os direitos dos transportadores autônomos e equiparados.

O CIOT é obtido apenas por meio do cadastramento da operação de transporte no sistema da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). A sua principal utilidade é regulamentar o pagamento do frete ao prestador do serviço de transporte. Por isso, esse número único deve constar no Contrato de Transporte, no CTe ou ainda no MDFe.

A resolução estava prevista para entrar em vigor nesta quarta-feira (11), mas o Governo Federal não cumpriu.

Confira aos vídeos e áudios do presidente da CNTTL e dos caminhoneiros autônomos 



 

 



 




 




 




 




 

Transportando CNTTL-CUT
Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação

Editora:Viviane Barbosa MTB - 28121 
Redatora: Vanessa Barboza MTB-74572
Assessoria de Comunicação: Mídia Consulte 
Redação: Imprensa /CNTTL :: Transportando o Brasil 
Siga-nos: http://www.twitter.com/cnttcut
Flickr: http://www.flickr.com/photos/cnttcut/

Mídia

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email:

Filiados