Goiânia: Mobilização dos trabalhadores pressiona Metrobus a fechar acordo

"Entendemos que nem todas as suas reivindicações foram atendidas, mas mantivemos um canal de diálogo permanente para debater as pautas da nossa categoria",disse o presidente do Sindcoletivo, Sérgio Reis.

Por: Viviane Barbosa, Redação da CNTTL
Publicação: 13/11/2020
Imagem de Goiânia: Mobilização dos trabalhadores pressiona Metrobus a fechar acordo

foto: Sindicato

Após negociação com a Metrobus, empresa de transporte pública de ônibus da Grande Goiânia, os trabalhadores do transporte Coletivo Urbano suspenderam a greve programada na última segunda-feira (9). 

Leia mais Goiânia: Trabalhadores do transporte coletivo anunciam paralisação

O SINDCOLETIVO (Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano de Goiânia e Região Metropolitana) filiado à CNTTL, informou em nota que a empresa fechou uma proposta de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) para data-base, vencida em janeiro, que atende parcialmente as reivindicações da categoria.

O acordo prevê um reajuste de 3,75% no salário e gratificação de função e aumento de 5% no tíquete-alimentação, que serão pagos a partir de janeiro de 2021.

“Entendemos que nem todas as suas reivindicações foram atendidas, mas temos a compreensão quanto a necessidade de fazer concessões em razão do momento de grave crise de COVID-19 que assola o país. O importante é que as empresas mantiveram um canal e diálogo permanente para debater as pautas da nossa categoria", disse o presidente do Sindcoletivo, Sérgio Reis de Araújo ao Portal da CNTTL.

Segundo o Sindicato, cerca de 650 motoristas e trabalhadores da Metrobus e parte das empresas do transporte coletivo se beneficiarão desse Acordo.

Retroativo e manutenção dos direitos

Com relação ao direito ao pagamento retroativo sobre os salários e benefícios – a categoria está 11 meses sem aumento, desde quando venceu a data-base em 1º de janeiro – ficou acordado que os recursos virão de um Plano Emergencial, que prevê aporte de recursos às concessionárias de serviço público. O Sindicato e a Metrobus voltarão a negociar esse direito em fevereiro de 2021.

Também foi acordado que a empresa extinguirá o desconto no tíquete-alimentação, nos termos da Resolução Metrobus nº 5/2019, a partir do 4º dia de afastamento, e o pagamento dos valores retroativos descontados a partir de 10 de abril serão pagos até 31 de dezembro. Outro ponto negociado foi o pagamento da gratificação suplementar, devida a partir de 1º de novembro de 2020, em valor mensal equivalente R$171,04, mesmo valor pago pelas demais empresas do sistema, independentemente de escalas e locais de operação.

O SINDCOLETIVO também conquistou a manutenção de todos os direitos garantidos no ACT, como a cesta natalina e o pagamento do 13º salário.

A Metrobus também se comprometeu com o Sindicato a dar continuidade às discussões sobre benefícios, tais como: café da manhã e estacionamento. A empresa também autorizou a participação de um representante do Sindicato na reunião sobre desestatização da companhia, marcada para o dia 18 de novembro.


Redação CNTTL

Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação &Marketing 

Editora e Assessora de Imprensa:Viviane Barbosa MTB - 28121 
WhatsApp Redação: (11) 96948-7446


Siga a CNTTL nas redes sociais:
www.facebook.com/cnttloficial
www.twitter.com/cnttloficial
www.youtube.com/cnttl
Modalcast https://spoti.fi/2YAFWKn #Episódio 4

Mídia

Filiados

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: