Entidades lançam campanha "Taxar fortunas para salvar vidas"

"A pandemia do coronavírus aprofundou a crise política, econômica e social que já estávamos atravessando. A gravidade do momento exige todos os esforços para salvar as vidas em risco, seja pelo adoecimento ou pela pobreza", destacam.

Por: Viviane Barbosa, da Redação da CNTTL
Publicação: 13/04/2020
Imagem de Entidades lançam campanha

campanha das entidades

As Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, com o apoio de partidos da oposição, das centrais sindicais e de organizações  da sociedade civil, além dos movimentos sociais, lançaram nesta segunda-feira (13) uma Campanha do abaixo-assinado "TAXAR FORTUNAS PARA SALVAR VIDAS".

No documento, as entidades alertam que o  Brasil está entre os 10 países mais desiguais do mundo. "A pandemia do coronavírus aprofundou a crise política, econômica e social que já estávamos atravessando. A gravidade do momento exige todos os esforços para salvar as vidas em risco, seja pelo adoecimento ou pela pobreza", destacam.

O Estado tem capacidade de aumentar o investimento público e deve agir urgentemente garantindo transferência de renda para salvar as vidas de quem mais precisa, as trabalhadoras e trabalhadores! A enorme desigualdade social, resultado da injusta carga tributária no Brasil nos trouxe ao patamar que hoje estamos. É urgente que se implemente medidas de taxação no andar de cima para que caminhemos em direção a Justiça Tributária.
 

Segundo as entidades, os acumuladores de riqueza, os banqueiros, os especuladores do mercado financeiro, os milionários são os que menos pagam impostos hoje no Brasil e são os que mais reclamam do Estado ser grande demais. Precisamos taxar quem ganha mais e diminuir de quem ganha menos, dos mais pobres.

"De cada mil contribuintes, apenas 8 conta com uma renda mensal de mais de 80 salários mínimos. Essa elite responde sozinha por um terço de toda a riqueza declarada em bens e ativos financeiros, sendo que metade dessas pessoas chega a ganhar em média 4 milhões de reais por mês! É hora de aumentar os impostos de quem pode mais, e proteger quem pode menos, como as pessoas sem renda, trabalhadores informais e a classe média. A implementação de uma carga tributária justa e solidária permite que 99% da população possa a ter uma renda disponível maior, o Estado aumenta sua capacidade de investimento no Sistema Público de Saúde (SUS) e amplia ações de proteção social, de modo a garantir uma vida digna à toda a população", frisa o manifesto das organizações.

Principais pontos:

- Taxação de lucros e dividendos das pessoas físicas detentoras de cotas e ações de empresas

- Instituição de alíquota sobre os lucros remetidos ao exterior

- Imposto sobre Grandes Fortunas, previsto na Constituição Federal

- Dar maior efetividade a cobranca do ITR, atualizando os valores das grandes propriedades que estão totalmente defasados.

- Empréstimo compulsório das empresas com patrimônio superior a 1 bilhão de reais

 

Coleta de assinaturas

 A estratégia principal é coletar assinaturas. Para ajudar,  assine o abaixo-assinado virtual (http://chng.it/Pyv9TnLZzc)


Redação CNTTL

Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação &Marketing 

Editora e Assessora de Imprensa:Viviane Barbosa MTB - 28121 
E-mail: jornalismo@midiaconsulte.com.br



Siga a CNTTL nas redes sociais:
www.facebook.com/cnttloficial
www.twitter.com/cnttloficial
www.youtube.com/cnttl
 

Mídia

Filiados

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: