Cadastro para auxílio emergencial só é feito via site ou aplicativo

Agências não fazem o cadastro. Aplicativo da Caixa pode ser baixado e utilizado mesmo em aparelhos de celular que não tenham dados de internet

Por: Redação Revista do Brasil
Publicação: 09/04/2020
Imagem de Cadastro para auxílio emergencial só é feito via site ou aplicativo

Bancários alertam que para cadastramento do auxílio emergencial não precisa ir a agência: nada de fila

São Paulo – As entidades representativas dos bancários alertam: o cadastro para receber o auxílio emergencial não é feito nas agências da Caixa Federal. Somente via celular, por meio do aplicativo (app), ou pelo site do banco é que os cidadãos poderão fazer sua inscrição para receber o valor de R$ 600. O app pode ser baixado e utilizado no celular mesmo que a pessoa não tenha dados de internet.

Até as 11h dessa quarta-feira (8), quase 23 milhões de pessoas haviam se cadastrado para receber o auxílio destinado a microempreendedores (MEI), contribuintes individuais da Previdência Social ou trabalhadores informais de qualquer natureza, inscritos no Cadastro Único do Governo Federal (CadÚnico).

A presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Juvandia Moreira, explica que o cadastro é fácil de ser realizado. “Caso a pessoa tenha dúvida, pode solicitar o auxílio de uma pessoa de sua confiança, em sua própria casa. Mas não há a necessidade de ir à agência, onde pode haver filas, aglomerações e riscos de contágio pelo vírus da Covid-19”, alerta a dirigente. “Basta utilizar os links indicados pela própria Caixa para evitar a ação de possíveis fraudadores e, em caso de dúvidas, ligar para a central de atendimento, pelo número 111.”

Público e essencial
Juvandia destacou ainda a importância da manutenção da Caixa como banco 100% público. “Somente é possível realizar o pagamento com esta agilidade devido à existência da Caixa como banco público, responsável pelas políticas e pelo cadastro da rede de proteção social do governo”, ressaltou a presidenta da Contraf-CUT, lembrando que os primeiro pagamentos começam a ser feitos a partir desta quinta-feira (9). “É por isso e muito mais que a Caixa não pode ser privatizada, assim como o SUS, que é quem está atendendo as vítimas desta pandemia”, completou.

Outra informação importante: mesmo que a conta do beneficiário estiver negativa, o banco não pode mexer no auxílio emergencial. O valor ficará protegido e o banco não poderá utilizá-lo para a cobertura dessas dívidas.

 


Redação CNTTL

Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação &Marketing 

Editora e Assessora de Imprensa:Viviane Barbosa MTB - 28121 
E-mail: jornalismo@midiaconsulte.com.br



Siga a CNTTL nas redes sociais:
www.facebook.com/cnttloficial
www.twitter.com/cnttloficial
www.youtube.com/cnttl
 

Mídia

Filiados

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: