Covid-19: metroviários de São Paulo pedem reunião com Metrô e propõem medidas

A recente declaração da OMS (Organização Mundial de Saúde) de pandemia de coronavírus exige dos entes públicos medidas emergenciais e protocolos com procedimentos.

Por: Viviane Barbosa, da Redação da CNTTL
Publicação: 16/03/2020
Imagem de Covid-19: metroviários de São Paulo pedem reunião com Metrô e propõem medidas

Colete 2020 do Sindicato

O Sindicato dos Metroviários de São Paulo solicitou na última sexta-feira (13) uma reunião com o Metrô para que a empresa disponibilize o protocolo de ações preventivas, assim como os procedimentos urgentes a serem tomados se os casos atuais se transformem em epidemia.

A recente declaração da OMS (Organização Mundial de Saúde) de pandemia de coronavírus exige dos entes públicos medidas emergenciais e protocolos com procedimentos.

"Os metroviários e metroviárias trabalham em trens, estações e equipamentos, expostos ao público, transportando milhões de usuários. Pedimos com urgência essa reunião para tratar do assunto com o Metrô. Outra ação será no encontro da Intercipas, para que os cipeiros possam discutir um planejamento de atuação", informa nota categoria.

Casos confirmados
Já são 121 casos confirmados pelo Ministério da Saúde no País (até 14/3). Segundo o Sindicato dos Metroviários, houve o fechamento temporário de um colégio na zona sul para realização de limpeza nas dependências a fim de reduzir a probabilidade de transmissão do vírus, o recente caso confirmado na USP, dezenas de casos confirmados na cidade de São Paulo e o aumento de 82% de casos suspeitos desde o último domingo.

Para o Sindicato, que para frear o coronavírus é emergencial a revogação imediata da Emenda Constitucional 95/2016, que retirou verba do Sistema Único de Saúde (SUS), congelando investimentos até 2036. 

A necessidade se fortalece diante dos casos de COVID-19 no Brasil. Até agora, de acordo com estudo da Comissão de Orçamento e Financiamento (Cofin) do CNS, o prejuízo ao SUS já chega a R$ 20 bilhões. Ao longo de duas décadas, os danos são estimados em R$ 400 bilhões a menos para os cofres públicos.

 

Coletivo Chega de Sufoco

Em comunicado divulgado nas redes sociais, o Coletivo Chega de Sufoco das Metroviárias e Metroviárias de SP, no qual destaca algumas medidas de proteção para os trabalhadores metroviários, confira abaixo:

Transporte público deve ter tratamento especial

Redução do fluxo de passageiros, com afastamento remunerado dos trabalhadores em atividade não essencial;

Manutenção das atividades de transporte público somente para atividades essências da população;

 Rodízio do quadro de funcionários, garantindo afastamento remunerado de todos em situação de fragilidade: funcionários com mais de 60 anos, imunideficientes, fumantes, cardíacos, asmáticos, diabéticos, etc e mães e pais de menores;

 Não manuseio de dinheiro em espécie com fechamento das bilheterias e liberação de catracas;

 Manutenção somente de funcionários operativos pra orientações e segurança do sistema, garantindo-se a segurança dos mesmos;

Higienização permanente de todos os corrimãos e equipamentos de contato público;

Garantia de máscaras e álcool gel, para todos funcionários que tenham contato com usuário;

Em caso de funcionário com suspeita de ter contraído o coronavirus, garantia de teste para todos do local e em caso de confirmação fechamento do local e afastamento de todos funcionários, com abertura de CAT.


Redação CNTTL

Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação &Marketing 

Editora e Assessora de Imprensa:Viviane Barbosa MTB - 28121 
E-mail: jornalismo@midiaconsulte.com.br



Siga a CNTTL nas redes sociais:
www.facebook.com/cnttloficial
www.twitter.com/cnttloficial
www.youtube.com/cnttl
 

Mídia

Filiados

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: