Codesa paga parte da dívida com o Portus

O valor pago vai dar mais um respiro ao fundo de pensão dos portuários

Por: Redação CNTTL com Suport-ES
Publicação: 22/07/2019
Imagem de Codesa paga parte da dívida com o Portus

divulgação/codesa

A Companhia de Docas do Espírito Santo (Codesa) divulgou na quarta-feira (17) que fez o pagamento antecipado de uma dívida que tinha com o Portus (fundo de pensão dos portuários). A informação é do Sindicato Unificado da Orla Portuária (Suport-ES).  

Segundo o Sindicato, foram transferidos quase R$ 10 milhões para o instituto de previdência complementar dos portuários, valor que era referente à Reserva de Tempo de Serviço Anterior (RTSA). “A empresa esta a pagando a dívida de forma parcelada, mas como antecipou o pagamento das parcelas que estavam pendentes, economizou cerca de R$ 1,2 milhão. O valor pago vai dar mais um respiro ao Portus, no sentido de colaborar para que o instituto saia do arrocho financeiro e caminhe para ficar com as contas equilibradas”, explica nota do Sindicato.

Ainda segundo o Suport-ES, embora o montante liberado agora seja considerável, ainda há outras dívidas que devem ser quitadas para que os participantes e assistidos do Portus não tenham que arcar com este ônus, que não é da classe trabalhadora e nem de suas famílias. “O sindicato vai continuar acompanhando o uso inteligente dos recursos da empresa e trabalha constantemente para que o nosso instituto tenha uma solução definitiva que seja favorável aos beneficiários. Contamos com sua participação na luta em defesa do Portus!”, finaliza a entidade.

Sobre o Portus

O Instituto de Seguridade Portus é uma entidade fechada, criada em 1979 pela extinta Portobrás, que na época era responsável pela administração dos portos brasileiros. O Portus foi criado com o objetivo de proporcionar aos trabalhadores portuários um complemento aos benefícios previdenciários.

Os problemas do Portus tiveram início em 1990, com a extinção da Portobrás. A dívida ficou rolando por vários anos. Desde agosto de 2011, o Portus está sob intervenção federal (interventor é nomeado pela União para auditoria técnica na entidade) para corrigir e sanear o Fundo, garantindo a preservação dos direitos dos usuários. A intervenção tem prorrogação garantida até 4 de março de 2018.

Os sindicatos dos portuários, filiados à Federação Nacional dos Portuários (FNP-CNTTL), seguem na luta contra o descaso do governo para com o Instituto de Seguridade Social dos portuários.

Em todo o país, o Portus tem cerca de 10 mil participantes divididos em ativos (1.659), aposentados (4.884) e pensionistas (3.455).



 


Redação CNTTL

Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação &Marketing 

Editora e Assessora de Imprensa:Viviane Barbosa MTB - 28121 
E-mail: jornalismo@midiaconsulte.com.br



Siga a CNTTL nas redes sociais:
www.facebook.com/cnttloficial
www.twitter.com/cnttloficial
www.youtube.com/cnttl
 

Mídia

Filiados

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: