Lula: "Quem deu o golpe não sabe o que fazer com o Brasil”

Em entrevista à “Rádio Jornal” (PE), o ex-presidente defendeu diretas e que a União retome o investimento nos pobres como solução para a retomada da economia

Por: Agência PT
Publicação: 05/04/2017
Imagem de Lula:

Foto: Paulo Pinto

O ex-presidente Lula defendeu nesta terça-feira (4), em entrevista à “Rádio Jornal”, de Pernambuco, que a União cumpra seu papel como indutora da economia para retomar o desenvolvimento do Brasil. O petista fez um contraponto entre a atual política econômica do governo golpista e a adotada por ele quando esteve à frente da Presidência da República. Para Lula, “quem deu o golpe não sabe o que fazer com o Brasil”. Para ele, a falta de credibilidade de um governo que não foi democraticamente eleito contribuiu também para a crise econômica pela qual passa o Brasil.

“Para recuperar a economia brasileira é preciso voltar a colocar os pobres no orçamento da União. É preciso começar a gerar empregos e, para isso, é preciso que a União faça investimentos, que os estados e municípios façam investimentos, que os bancos públicos cumpram seu papel, que os bancos privados invistam em desenvolvimento, para que possa ter credito para esse povo consumir alguma coisa. Se a União não investe, quem vai girar a roda gigante da economia? Ninguém. Pobre não é problema, é solução para a economia brasileira”, afirmou Lula.

Ele se posicionou, mais uma vez, contra o projeto da reforma da Previdência. “Então, querem consertar a Previdência? Gerem empregos, aumentem os salários, a renda formaliza a economia, provamos isso de 2004 a 2014. É só você analisar o que aconteceu nesse período e vai perceber que todo ano teve aumento do Bolsa Família, aumento de salário mínimo e a Previdência passou a arrecadar muito mais”, declarou.
Quanto às eleições de 2018, Lula disse que não vai entrar no debate com o prefeito tucano de São Paulo, João Dória. Para ele, aceitar a provocação de uma figura desconhecida nacionalmente não contribuiu para o debate em torno dos reais problemas do país. “Tenho outras propostas, acho que o Brasil precisa efetivamente voltar a crescer e gerar emprego, que é o que o povo precisa. O povo brasileiro está sofrido”, afirmou.

Eleições diretas
Questionado sobre o julgamento pela Justiça eleitoral da chapa da ex-presidenta Dilma e de Michel Temer, o ex-presidente defendeu eleições diretas caso a cassação se concretize. “A Justiça eleitoral já aprovou as contas da Dilma. Acho que o PSDB quis promover um carnaval com essa ação. O Brasil precisa ter um presidente eleito democraticamente para que volte a recuperar a credibilidade, as instituições voltem a funcionar e fazer o país andar para frente: recuperar a economia, aumentar os salários, gerar emprego”, afirmou.  O julgamento foi adiado na terça-feira (4) a pedido das defesas.
 

Transportando CNTTL-CUT
Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação

Editora:Viviane Barbosa MTB - 28121 
Redatora: Vanessa Barboza MTB-74572
Assessoria de Comunicação: Mídia Consulte 
Redação: Imprensa /CNTTL :: Transportando o Brasil 
Siga-nos: http://www.twitter.com/cnttcut
Flickr: http://www.flickr.com/photos/cnttcut/

Mídia

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: