Itajaí/SC: Portuários debatem em Encontro mobilização nacional contra retirada de direitos

Atividade é organizada pela Unidade Portuária Nacional, da qual a FNP/CUT faz parte

Por: Redação CNTTL com FNP
Publicação: 02/09/2016
Imagem de Itajaí/SC: Portuários debatem em Encontro mobilização nacional contra retirada de direitos

Portuários do Rio Grande, Pelotas e Porto Alegre e de outras localidades do País realizam nesta sexta-feira (2) II Encontro Nacional da categoria, na sede da Administração do Porto de Itajaí, em Santa Catarina. Na ocasião, debatem a importância de mobilizar os trabalhadores contra a atual pauta do Congresso Nacional e do governo de Michel Temer que traz sérios prejuízos aos direitos. 

Algumas ameaças aos direitos são  a proposta de mudança na Previdência Social que aumenta a  idade mínima para se aposentar, de 65 a 70 anos e o pacote de privatizações das estatais brasileiras, que colocará os empregos e direitos em risco. Outro projeto de Temer, que faz parte da reforma trabalhista, que os portuários condenam é permitir que o "negociado sobre o legislado", ou seja, as negociações diretas com patrões teriam mais força do que a legislação trabalhista.

O II Encontro é promovido pela Unidade Portuária Nacional que é composta pelas  Federações Nacionais dos Portuários (FNP/CUT), dos Conferentes, Consertadores, Arrumadores e Armadores (Fenccovib) e dos Estivadores (FNE). 

Unidade
Para o presidente da FNP, vice-presidente da CNTTL/CUT e diretor da Executiva da CUT, Eduardo Guterra, com o novo governo será ainda mais difícil o diálogo.  “Se como presidente interino já propôs várias medidas que prejudicam os trabalhadores, imagina como presidente?”, questiona. 

Guterra ressalta que é preciso que mais do que nunca os trabalhadores dos portos estejam unidos, para que possa alcançar as reivindicações e barrar qualquer tentativa de retirada de direitos.

Carta Aberta 

No final dos debates, os trabalhadores vão  encaminhar uma carta aberta ao governo reafirmando compromisso de lutar ao lado da classe trabalhadora contra qualquer retirada de direito como vem acontecendo com as mudanças na aposentadoria e outras maldades praticadas pelo atual governo federal.

Outro encaminhamento é aprovação de uma uma paralisação nacional de 24 horas, ainda sem data.  “É preciso que os sindicatos estejam junto com suas bases e federação nessa luta”, explicou o presidente da Federação dos Estivadores Wilton Ferreira Barreto aos trabalhadores.


Campanha Salarial 

Os portuários tentam negociar com o governo federal e com os patrões desde junho, sem sucesso. Já aconteceram quatro reuniões, a última que seria no dia 21 de julho foi desmarcada pelo governo e desde então, as federações não conseguem se quer marcar uma reunião der negociação. “Os patrões dizem que querem negociar, mas na prática é diferente. Por isso nós tivemos a ideia de realizar essa carta e mobilizar todos vocês para lutarmos pelos nossos direitos”, ressaltou o presidente da Fenccovib, Mário Teixeira.

Principais reivindicações

Cumprimento da Lei Portuária (12.815/2013) e da Convenção 137 da Organização Internacional do Trabalho;
Fim de contratações irregulares e da interveniência do governo para uma saída de negociação coletiva dos Terminais de Uso Privado (TUPs) localizados fora da área dos Portos públicos e dos trabalhadores;
Recuperação da Previdência Complementar (Portus);
Contra a terceirização ilegal da guarda portuária;
Combate à privatização das Companhias Docas.

 


Redação CNTTL

Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação &Marketing 

Editora e Assessora de Imprensa:Viviane Barbosa MTB - 28121 
E-mail: jornalismo@midiaconsulte.com.br



Siga a CNTTL nas redes sociais:
www.facebook.com/cnttloficial
www.twitter.com/cnttloficial
www.youtube.com/cnttl
 

Mídia

Filiados

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: