CNTTL manifesta apoio à Chapa 2 CUT/CTB dos Metroviários de São Paulo

Eleição sindical acontecerá do dia 28 de agosto a 1º de setembro

Por: Viviane Barbosa, assessora de imprensa da CNTTL
Publicação: 03/08/2016
Imagem de CNTTL manifesta apoio à Chapa 2 CUT/CTB dos Metroviários de São Paulo

Marcão (Chapa 2-CUT/CTB), Marrom, Paulinho e Queiroz - Foto: Mídia Consulte

Agora, os metroviários de São Paulo terão a oportunidade de eleger uma direção sindical que seja de fato comprometida com seus direitos. Em reunião do ramo dos transportes, realizada na quarta-feira (3) na sede do Sindviários, a CNTTL/CUT manifestou apoio à Chapa 2 "Reconstrução", dos metroviários, formada por companheiros (as) da CUT e CTB. 

Participaram dirigentes da CUT/SP e dos sindicatos rodoviários e condutores do Vale do Paraíba, Bauru, Piracicaba, Sorocaba, Guarulhos e do Sindviários que definiram uma coordenação para ajudar nas eleições, que acontecerão  do dia 28 de agosto a 1º de setembro. Cerca de seis mil metroviários terão direito a voto.

O presidente da CNTTL/CUT,Paulo João Estausia, o Paulinho, ressalta que a vitória da Chapa 2 CUT-CTB para o Sindicato dos Metroviários de São Paulo é importante não só para o ramo dos transportes, mas para política da capital. "É um Sindicato que tem uma representação e uma influência nacional do ponto de vista do movimento sindical. É uma categoria estratégica que movimenta a cidade de São Paulo. A Chapa 2 é composta por companheiros (as) capazes e temos a certeza de que sairemos vitoriosos", enaltece.



Resgatar a
confiança

O Operador de Trem na Linha 3 Vermelha (leste/oeste), Marcos Freire, mais conhecido como Marcão, é um dos candidatos. Em entrevista ao Portal da CNTTL, Marcão disse que uma das propostas da Chapa 2 CUT-CTB é reconquistar a confiança da categoria, que se perdeu nos últimos seis anos da atual gestão do PSTU/PSOL. "Nosso Sindicato perdeu credibilidade, está desacreditado pela categoria. Uma das razões que piorou a situação foi a Campanha Salarial desastrosa de 2014, que foi conduzida de forma irresponsável e inconsequente pela Direção do PSTU/PSOL, que levou a demissão de 42 trabalhadores", relembra.

Marcão conta que esse fato causou indignação da categoria e os metroviários avaliaram que o Sindicato tinha que mudar urgente. "Lembro-me quando eles ganharam disseram que o Sindicato seria devolvido para os trabalhadores, mas o que vimos hoje é justamente o contrário: um Sindicato distante da categoria. É um absurdo! O papel de um Direção séria e comprometida é ter a capacidade de negociar e preservar os interesses dos metroviários", explica.

Outra proposta da Chapa 2 CUT-CTB é retomar a interlocução com a companhia, ter de fato o poder de negociação com a empresa. "Hoje atual Direção não é respeitada por nenhum gestor do Metrô. Antes deles, a nossa gestão da CUT e CTB conquistou direitos importantes, como foi os vales- refeição e transporte e o anuênio. Temos que resgatar a credibilidade do nosso Sindicato e fazer essa interlocução com a categoria metroviária", finaliza.

 


Redação CNTTL

Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação &Marketing 

Editora e Assessora de Imprensa:Viviane Barbosa MTB - 28121 
E-mail: jornalismo@midiaconsulte.com.br



Siga a CNTTL nas redes sociais:
www.facebook.com/cnttloficial
www.twitter.com/cnttloficial
www.youtube.com/cnttl
 

Mídia

Filiados

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: