Carta em defesa da democracia passa de 434 mil adesões, desde o lançamento há 3 dias

Autores esperam que a Carta aos Brasileiros, em defesa do Estado Democrático de Direito devepassar de meio milhão de assinaturas nesta sexta. Documento irritou o presidente da República, Jair Bolsonaro

Por: Redação CUT | Editado por: Rosely Rocha
Publicação: 29/07/2022
Imagem de Carta em defesa da democracia passa de 434 mil adesões, desde o lançamento há 3 dias

FABIO RODRIGUES POZZEBON / AGÊNCIA BRASIL - ARQUIVO

O documento “Carta aos Brasileiros, em Defesa da Democracia” ultrapassou nesta sexta-feira (29), a marca de 434 mil adesões, desde que foi publicado na última terça (26), e a previsão é que atinja meio milhão de assinaturas ainda nesta sexta. Outras sete milhões de pessoas acessaram o documento, por sua plataforma.

A Carta, uma iniciativa da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, da Universidade de São Paulo (USP), está hospedada no site Estado de Direito, Sempre ! e pode ser assinada por qualquer pessoa interessada em defender a democracia brasileira dos ataques do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), que por diversas vezes questionou a lisura da votação, por meio de urnas eletrônicas. 

Entre os assinantes do documento, que é uma nova edição da Carta aos Brasileiros que condenou o regime da ditadura militar (1964-1987), estão artistas, intelectuais, políticos, ex-ministros do Supremo Tribunal Federal e sindicalistas, como o presidente da CUT Nacional, Sérgio Nobre. Segundo o dirigente, não há nada mais importante do que defender a democracia. Nobre disse ainda que Central apoiará todas as iniciativas e manifestos em defesa da democracia e do sistema eleitoral, atacados por Bolsonaro durante 24h por dia.

Leia mais: Sérgio Nobre: não há nada mais importante do que defender a democracia e as eleições

Empresários e entidades aderem ao movimento em defesa da democracia

Além da Carta aos Brasileiros, o documento “Em Defesa da Democracia e da Justiça", criado pela Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), e assinado por entidades como a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomércioSP) e as centrais sindicais ,será lido no dia 11 de agosto na Faculdade de Direito da USP.

Leia mais: Centrais Sindicais assinam manifesto em defesa da democracia e convocam para ato

A reação do presidente da República

Em tom jocoso, o presidente da República, Jair Bolsonaro desdenhou da carta em defesa da democracia e creditou a uma perseguição política o documento criado pelos empresários da Fiesp. Em seu deboche, pelo Twitter, Bolsonaro “assinou” uma carta no mesmo tom.

 Ataques de hackers

Segundo os organizadores da Faculdade de Direito, o site que hospeda a carta sofreu mais de 2.500 ataques de hackers. Até o momento os extremistas não obtiveram sucesso nos ataques.



Secretário Nacional de Comunicação da CNTTL: José Carlos da Fonseca - Gibran

Redação CNTTL
Mídia Consulte Comunicação &Marketing 

Editora e Assessora de Imprensa: Viviane Barbosa MTB 28121
WhatsApp: 55 + (11) 9+6948-7450
Assessoria de Tecnologia da Informação e Website: Egberto Lima
E-mail: viviane@midiaconsulte.com
Redação: jornalismo@midiaconsulte.com



Siga a CNTTL nas redes sociais:
www.facebook.com/cnttloficial
www.twitter.com/cnttloficial
www.youtube.com/cnttl

Mídia

Filiados

Cobertura Especial

Canal CNTTL

+ Vídeos

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: