Portuários de todo país aprovam estado de greve contra a privatização dos portos

Lideranças dos trabalhadores portuários de todo o país realizaram Plenária Nacional nos dias 17 e 18 em Brasília, e aprovaram lutas conjuntas em defesa dos portos e autoridades portuárias.

Por: Viviane Barbosa, da Redação da CNTTL
Publicação: 19/05/2022
Imagem de Portuários de todo país aprovam estado de greve contra a privatização dos portos

Arte SuportES

A luta em defesa dos empregos dos trabalhadores e trabalhadoras portuários e contra a privatização dos portos será intensificada no país.

O alerta é dos representantes sindicais das Federações de base Nacional dos Portuários (FNP), dos Estivadores (FNE) e dos Conferentes e Consertadores de Carga e Descarga, Vigias Portuários, Trabalhadores de Bloco, Arrumadores e Amarradores de Navios nas Atividades Portuárias (Fenccovib). Juntas as organizações representam cerca de 50 mil portuários no país.

Para debater ações conjuntas, lideranças dos  portuários de todo o país realizaram Plenária Nacional, nos dias 17 e 18 em Brasília.  Entre as ações aprovadas, os sindicatos dos trabalhadores filiados às Federações orientarão a categoria a permanecer vigilante e em estado de greve contra a iniciativa dos governos federal e estaduais em privatizar  as Autoridades Portuárias e tentarem entregar essas administrações para as empresas privadas. 

Outra luta permanente é prestar ampla solidariedade e apoio aos trabalhadores e trabalhadoras dos portos ameaçados por esse nefasto processo de privatização e exigir o cumprimento dos direitos conquistados nos acordos coletivos de trabalho.

Outra bandeira de luta é combater a política dos operadores portuários, que são os patrões responsáveis pelas operações portuárias no Brasil, para que renovem e incentivem a contratação de trabalhadores. “No Rio de janeiro, por exemplo, há  30 anos que o Ogmo (Órgão Gestor de Mão de Obra do Trabalho Portuário)  não aumenta o número de trabalhadores e não oferece emprego para ninguém. Essa política precisa mudar urgentemente”, frisa o presidente da FNP e vice-presidente da CNTTL, Eduardo Guterra.

As entidades portuárias também aprovaram apoio ao movimento nacional dos caminhoneiros que são contra o aumento abusivo do diesel e lutam por condições decentes de trabalho. Em março, as entidades entregaram as pautas dos trabalhadores e trabalhadoras ao pré-candidato à presidência da República, Luis Inácio Lula da Silva. No documento, as entidades pediram a Lula que apoie a luta contra o desmonte promovido pela política neoliberal de Guedes e Bolsonaro.


Redação CNTTL

Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação &Marketing 

Editora e Assessora de Imprensa:Viviane Barbosa MTB - 28121 
E-mail: jornalismo@midiaconsulte.com.br



Siga a CNTTL nas redes sociais:
www.facebook.com/cnttloficial
www.twitter.com/cnttloficial
www.youtube.com/cnttl
 

Mídia

Filiados

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: