Portuários capixabas iniciam paralisação em defesa da CODESA

A manifestação em Vitória é organizada pelo Sindicato Unificado da Orla Portuária (Suport-ES).

Por: Viviane Barbosa, da Redação da CNTTL, com Cristiane Brandão, jornalista do Suport-ES
Publicação: 20/12/2021
Imagem de Portuários capixabas iniciam paralisação em defesa da CODESA

Portuários realizam protesto em frente à CODESA- foto: Cristiane Brandão

Os portuários do Espírito Santo realizaram nesta segunda-feira (20) mobilização em defesa dos portos públicos. A manifestação em Vitória é organizada pelo Sindicato Unificado da Orla Portuária (Suport-ES).

O protesto acontece em todos os terminais portuários da CODESA (Companhia de Docas do Espírito Santo). 

Segundo o Sindicato, os trabalhadores estão de braços cruzados desde as 7 horas da manhã e seguem em protesto até às 13 horas, portanto, não há mão de obra disponível para as operações.



O objetivo é chamar a atenção da sociedade para as consequências da venda da Codesa. “Caso seja privatizada irá gerar desemprego, fuga de cargas para outros estados, aumento de tarifas, perda de arrecadação municipal e estadual, entre outros”, destaca nota do Sindicato.

Em Vitória, participam do protesto o presidente da Federação Nacional dos Portuários (FNP) e vice-presidente da CNTTL, Eduardo Guterra, o deputado federal Helder Salomão, e dirigentes da Federação Nacional dos Estivadores (FNE), da Intersindical da Orla Portuária e da CUT-ES.



Protestos pelo país

Os protestos e paralisações também aconteceram em todo país nas bases das três entidades representativas dos trabalhadores: Federação Nacional dos Portuários (FNP), Federação Nacional dos Estivadores (FNE) e Federação Nacional dos Conferentes e Consertadores de Carga e Descarga, Vigias Portuários, Trabalhadores de Bloco, Arrumadores e Amarradores de Navios, nas Atividades Portuárias (Fenccovib).

Essa ação unificada foi aprovada em Plenária Nacional das entidades, realizada em Brasília nos dias 7 e 8 de dezembro.

As entidades também aprovaram a continuidade das mobilizações em defesa dos empregos, do mercado de trabalho e da manutenção do porto público em 2022.

 A próxima será no 28 de janeiro (Dia do Portuário) e durará 12 horas. Depois estão previstas paralisações/protestos de 18 horas em fevereiro e de 24 horas em março.


Redação CNTTL

Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação &Marketing 

Editora e Assessora de Imprensa:Viviane Barbosa MTB - 28121 
E-mail: jornalismo@midiaconsulte.com.br



Siga a CNTTL nas redes sociais:
www.facebook.com/cnttloficial
www.twitter.com/cnttloficial
www.youtube.com/cnttl
 

Mídia

Filiados

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: