CNTTL repudia postura do Grupo Itapemirim e exige cumprimento dos direitos dos trabalhadores

O clima de indignação e revolta nos aeroportos em todo o país só tem aumentado.

Por: Viviane Barbosa, Redação CNTTL
Publicação: 20/12/2021
Imagem de CNTTL repudia postura do Grupo Itapemirim e exige cumprimento dos direitos dos trabalhadores

Saguão da ITA no GRU Airport

Após completar seis meses no mercado da aviação, transportando quase 100 mil passageiros, a Itapemirim Transportes Aéreas, empresa do Grupo Itapemirim de transporte rodoviário, voltou ao chão.

A CNTTL (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte e Logística) repudia a postura da empresa que suspendeu as operações do modal aéreo no país na última sexta-feira (17), à noite, pegando de surpresa passageiros e funcionários.

O clima de indignação e revolta nos aeroportos em todo o país só tem aumentado. Passageiros reclamam, com razão, do descaso da empresa que cancelou todos os voos faltando poucos dias para o Natal.

 E por outro lado, os funcionários da companhia – aeroviários e aeronautas—vivem momentos de insegurança. Após um período difícil da pandemia de COVID-19 que atingiu drasticamente o setor da aviação -- quase sete mil postos de trabalho  foram fechados -- muitos trabalhadores conseguiram ser recolocados na ITA e agora estão com seus empregos ameaçados. 

Os motivos dessa decisão brusca da empresa, que está em recuperação judicial, ainda não estão claros, mas há sinais de problemas de gestão e financeiros.

DEFESA DOS DIREITOS

A CNTTL manifesta preocupação com futuro dos empregos e direitos dos trabalhadores e trabalhadoras da ITA, que se dedicaram dia e noite para que a companhia decolasse e, por isso, defende que todos os seus direitos sejam cumpridos.

O Sindigru (Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos) ingressou com ação coletiva junto à Justiça do Trabalho, com pedido de tutela de urgência, pleiteando que a ITA cumpra as garantias de pagamento de salários e benefícios à categoria, além danos morais e intervenção do Ministério Público. 

DESCASO NO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE SJC

Para a CNTTL, o descaso do Grupo Itapemirim coloca em risco também o futuro do transporte coletivo da cidade de São José dos Campos, interior de São Paulo.
A empresa venceu licitação do transporte de ônibus na cidade e está prevista para operar no sistema em 2022.

O Sindicato dos Condutores do Vale do Paraíba, filiado à CNTTL, tem feito denúncias e alertas sobre a crise da Itapemirim nos últimos meses, mas lamentavelmente foram ignoradas pela Prefeitura de SJC.

 “Grupo Itapemirim foi flagrado desrespeitando direitos trabalhistas e abandonando à própria sorte o serviço de transporte público em outras cidades do país, como ocorreu, por exemplo, em Nova Friburgo (RJ)”, destaca nota do Sindicato. 

 A CNTTL apoia a luta do Sindicato dos Condutores e reforça que este modelo da Itapemirim pode levar ao colapso o sistema de transporte na cidade de São José dos Campos em 2022, prejudicando milhares de pessoas que dependem do serviço de ônibus diariamente.
    
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística exige que o Grupo Itapemirim atenda aos pedidos dos sindicatos que estão cumprindo o seu legítimo direito em defender de forma intransigente os empregos e direitos de seus trabalhadores e trabalhadoras. 


Redação CNTTL

Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação &Marketing 

Editora e Assessora de Imprensa:Viviane Barbosa MTB - 28121 
E-mail: jornalismo@midiaconsulte.com.br



Siga a CNTTL nas redes sociais:
www.facebook.com/cnttloficial
www.twitter.com/cnttloficial
www.youtube.com/cnttl
 

Mídia

Filiados

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: