Aeroportuários sindicalizados divulgam "Carta" em defesa do Acordo Coletivo de Trabalho e da valorização do Sindicato

No documento, os profissionais destacam que após a Reforma Trabalhista todo o sustento de cada Sindicato é da responsabilidade única e exclusiva dos FILIADOS

Por: Carta Aberta dos Aeroportuários Sindicalizados
Publicação: 13/07/2018
Imagem de Aeroportuários sindicalizados divulgam

divulgação

O Portal da CNTTL divulga a seguir uma  Carta Aberta elaborada pelos aeroportuários sindicalizados --  funcionários que trabalham na Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e nas concessionárias que administram os aeroportos -- na qual enaltece a importância do papel do Sindicato na defesa dos direitos e chama atenção sobre quem não concorda com as conquistas do Acordo Coletivo de Trabalho, que o renuncie.

"Importante destacar que após a Reforma Trabalhista todo o sustento de cada Sindicato é da responsabilidade única e exclusiva dos SÓCIOS ou FILIADOS. Isto intensificou o desconforto já que agora evidencia e expõem os NÃO SÓCIOS, a injustiça e incoerência em receber gratuitamente os mesmos direitos e benefícios (dos quais discordam) totalmente custeados por nós, empregados FILIADOS! O direito à RENÚNCIA ao ACT irá restabelecer a coerência, a dignidade e a liberdade de todos e de cada um, de lutar e defender seus interesses", destaca o texto dos aeroportuários sindicalizados.

Confira a seguir: 

Carta aberta dos Aeroportuários sindicalizados: Quem não concorda com o ACT negociado pelo Sindicato que o renuncie!

Todos sabem que a Lei obriga que os direitos e benefícios conquistados pelo Sindicato, no Acordo Coletivo de Trabalho na data-base da Campanha Salarial, sejam disponibilizados para toda a categoria, ou seja, para os sócios e não sócios.

Isso tem causado um enorme descontentamento e desconforto aos empregados NÃO SÓCIOS, que vem manifestando, muitas vezes até de forma desrespeitosa, repúdio a esta prática, uma vez que configura uma imposição; em ser obrigado a receber algo que eles não aprovam.

Sensibilizados com essa questão, já que isto fere claramente o direito destas pessoas pela opção aos benefícios ou não, nós aeroportuários sindicalizados, propomos uma solução: que os empregados NÃO SÓCIOS que, com certeza, o são por falta de concordância com algo que envolva não só o ACT mas também a entidade sindical, procurem o RH da localidade e façam uma carta de RENÚNCIA ao ACT.

Dessa forma, todos os efeitos do ACT ficam suspensos e cada empregado, devidamente amparado pela nova Lei Trabalhista, poderá discutir INDIVIDUALMENTE seus direitos e benefícios DIRETAMENTE com a empresa.

Entendemos que com essa atitude poderia ser solucionado esse descontentamento, que se agravou consideravelmente depois da aprovação da Lei 13.467/2017 da Reforma Trabalhista, que extinguiu o imposto sindical, que ainda dava um entendimento de que por menor que fosse a contribuição, todos estavam colaborando de alguma maneira e por tanto mereciam os mesmos direitos adquiridos no ACT.

Importante destacar que após a Reforma Trabalhista todo o sustento de cada Sindicato é da responsabilidade única e exclusiva dos SÓCIOS ou FILIADOS.

Isto intensificou o desconforto já que agora evidencia e expõem os NÃO SÓCIOS, a injustiça e incoerência em receber gratuitamente os mesmos direitos e benefícios (dos quais discordam) totalmente custeados por nós, empregados FILIADOS!

O direito a RENÚNCIA ao ACT irá restabelecer a coerência, a dignidade e a liberdade de todos e de cada um, de lutar e defender seus interesses.

Unidade

Nós, aeroportuários, que apoiamos as lutas do nosso sindicato e contribuímos mensalmente para o seu fortalecimento na disputa de classes (patrão X empregado) chamamos atenção neste texto sobre a importância de valorizar nossa entidade de classe.

Se hoje nós temos conquistas não foram graças à empresa nenhuma, mas sim ao Sindicato combativo, que junto com seus filiados, luta e defende de forma intransigente melhores condições de trabalho, saúde, segurança nos locais de trabalho, além de salário digno e benefícios sociais, para que possamos ter uma vida digna e sustentar nossas famílias!

A nova Lei Trabalhista, em vigor desde novembro de 2017, retrocedeu as relações de trabalho no Brasil, piorando as condições de trabalho. Uma das principais mudanças é a prevalência do acordado sobre o legislado, que agora tem força de lei.

Manter conquistas diante dessa Lei que retira direitos não tem sido uma tarefa fácil, em razão que as empresas têm colocado pautas que as favorecem, passando por cima de todos os nossos direitos adquiridos ao longo de muitos anos e às custas de muita luta.

Daí a relevância de um Sindicato forte, combativo e a importância da consciência de classe, ou seja, da filiação ao Sindicato para que juntos possamos barrar qualquer tentativa de retrocesso nos nossos direitos.  Não negligencie os seus direitos. Não se permita ser MANIPULADO por meios de comunicação com interesses duvidosos. Busque informações em fontes CONFIÁVEIS ou com profissionais competentes da área que sejam de sua confiança. Saiba mais sobre a importância do movimento sindical nas nossas vidas e na vida dos trabalhadores do Brasil e do mundo!!!

AEROPORTUÁRIOS SINDICALIZADOS

Transportando CNTTL-CUT
Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação

Editora:Viviane Barbosa MTB - 28121 
Redatora: Vanessa Barboza MTB-74572
Assessoria de Comunicação: Mídia Consulte 
Redação: Imprensa /CNTTL :: Transportando o Brasil 
Siga-nos: http://www.twitter.com/cnttcut
Flickr: http://www.flickr.com/photos/cnttcut/

Mídia

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: