CNTTL presta solidariedade aos portuários do Porto de Areia Branca

Os trabalhadores foram obrigados a voltar ao trabalho após determinação judicial, ingressada pela Codern.

Por: Viviane Barbosa, da Redação da CNTTL
Publicação: 20/01/2022
Imagem de CNTTL presta solidariedade aos portuários do Porto de Areia Branca

Portuários do RN - foto: Sindicato

A CNTTL (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística) se solidariza com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Portuários  do Rio Grande do Norte (Sinporn), Pablo Barros e todos os portuários natalenses.

Os trabalhadores enfrentam uma situação difícil e a qualquer momento podem ser demitidos pela Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern). O Porto está em processo de arrendamento e a Codern anunciou que todos os 115 funcionários serão demitidos.

Para defender os postos de trabalho, o Sindicato organizou uma paralisação que atingiu 100% das operações no Terminal  Salineiro de Areia Branca. O movimento começou no último dia (13) e terminou na segunda-feira (17).

Mas a luta em defesa dos empregos foi interrompida pela Justiça. Os trabalhadores foram obrigados a voltar ao trabalho após determinação judicial, ingressada pela Codern.

Segundo informações do site Saiba Mais, o desembargador Federal do Trabalho, Ronaldo Medeiros de Souza, autorizou o uso de força policial para acabar com o movimento grevista. (Fotos abaixo)

Agentes armados da Polícia Federal foram até o Porto no quinto dia de paralisação no dia (17) e retiraram o presidente do Sindicato do local e pediram o retorno dos demais funcionários ao trabalho. 

O presidente do Sinporn, Pablo Barros, disse à CNTTL que as demissões dos trabalhadores serão realizadas até junho, e que ainda não começaram.

“Estamos lutando pela transferência para outras instituições, e isso não acarretará custo para Codern. Mas a empresa se recusa a transferir e negociar com o Sindicato”, explica Barros. 

Perguntado sobre se os novos gestores do Terminal, o consórcio formado entre as empresas Navenor e Intermarítima, poderão assumir a mão de obra do Terminal, o sindicalista disse que não há garantia de nada. O Porto de Areia Branca produz em torno de duas milhões de toneladas de sal marinho por ano. 

“Não temos nenhuma garantia que isso irá ocorrer, tampouco das condições de trabalho e salário que serão oferecidos”, diz o dirigente. 
 

O Sindicato informa que os portuários seguem mobilizados e continuarão a luta em defesa dos postos de trabalho. 


Sobre o Terminal Salineiro de Areia Branca

Fundado há 48 anos, o Terminal Salineiro de Areia Branca, mais conhecido como Porto-Ilha de Areia Branca, está localizado próximo ao litoral do Rio Grande do Norte. 

O sal movimentado no Porto-Ilha tem como principais destinos o mercado internacional e as indústrias de cloro brasileiras. 

O Porto exporta 2 milhões de toneladas de sal marinho por ano, tornando o Rio Grande do Norte o maior produtor de sal do país.

Lamentável: Justiça ordena escolta policial para acabar com greve dos portuários que lutam pelos seus postos de trabalho 






Redação CNTTL

Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação &Marketing 

Editora e Assessora de Imprensa:Viviane Barbosa MTB - 28121 
E-mail: jornalismo@midiaconsulte.com.br



Siga a CNTTL nas redes sociais:
www.facebook.com/cnttloficial
www.twitter.com/cnttloficial
www.youtube.com/cnttl
 

Mídia

Filiados

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: