CNTTL participa do lançamento da Campanha da CUT contra privatizações do governo Bolsonaro

O objetivo é “sensibilizar toda a sociedade brasileira para os problemas que o Brasil enfrentará em cada setor, caso essas empresas sejam privatizadas. E quando se fala nesses problemas, significa prejuízos para o povo brasileiro”.

Por: Redação CNTTL com PT
Publicação: 01/03/2021
Imagem de CNTTL participa do lançamento da Campanha da CUT contra privatizações do governo Bolsonaro

Já está nas redes sociais a nova Campanha Nacional da CUT “Não deixem vender o Brasil”, em defesa das empresas estatais brasileiras e contra o projeto entreguista de privatizações do governo de Jair Bolsonaro. 

A CUT,  sindicatos, Federações e Confederações filiadas fizeram o  lançamento no último dia (24) que contou com participação do presidente da Federação Nacional dos Portuários (FNP) e vice-presidente da CNTTL (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística), Eduardo Guterra, falou da situação da privatização dos portos brasileiros, citando a CODESA  (Companhia de Docas do Espírito Santo)

O governo já demonstrou que pretende privatizar empresas estratégicas para o desenvolvimento e a soberania do pais como Petrobras, Correios e Eletrobras, além da Caixa Federal e do Banco do Brasil, que também estão na mira do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Segundo o secretário de Comunicação da CUT, Roni Barbosa, o objetivo da campanha é “sensibilizar toda a sociedade brasileira para os problemas que o Brasil enfrentará em cada setor, caso essas empresas sejam privatizadas. E quando se fala nesses problemas, significa prejuízos para o povo brasileiro”.

Um exemplo mais recente é o apagão ocorrido no estado do Amapá, quando a população ficou sem energia porque a empresa privada que presta serviço no estado não fez a manutenção adequada dos equipamentos, o que deixou as pessoas sem luz durante vários dias. E mesmo sem energia, as altas contas de luz continuaram sendo enviadas.

A campanha encabeçada pela CUT quer conscientizar a população de que vender estatais, principalmente em tempos de crise, beneficia somente os grupos empresariais, para que as pessoas participem da mobilização e demonstrem  indignação e contrariedade através das redes sociais em relação às privatizações.

Para isso, peças publicitárias serão veiculadas em emissoras de TVT, como SBT, Band, Globo; e rádio, como a Band News – em rede nacional, além das próprias plataformas digitais, como Facebook, Instagram, Twitter e Youtube. De acordo com a CUT, a linguagem do material será popular, com toques de humor, retratando situações que levam o povo a refletir sobre a situação.

Outro instrumento de comunicação que será utilizado durante a campanha contra as privatizações será o NaPressão, ferramenta on line já conhecida, onde qualquer pessoa pode cobrar dos parlamentares, diretamente em seus canais de comunicação, Twitter, Instagram, Facebook e até Whatsapp, manifestações contra a venda das empresas estatais.

“O NaPressão foi reformulado para essa nova fase. Faremos pressão simultânea na Câmara e no Senado e todo cidadão e cidadã pode pressionar os parlamentares para que barrem esse processo de entrega do Brasil”, diz Roni Barbosa.

Além das empresas estatais mais conhecidas, o pacote de privatizações elaborado pelo governo de Bolsonaro deverá atingir ainda outras empresas, como a Casa da Moeda.

“Imagina uma empresa que faz a impressão de todo o papel moeda de um país ser vendida para iniciativa privada? O Brasil vai entregar a fabricação do seu dinheiro para uma empresa estrangeira?”, questiona Roni Barbosa, que faz um alerta: “Vai perder o controle da sua moeda. Nenhum país faz isso”.
 


Redação CNTTL

Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação &Marketing 

Editora e Assessora de Imprensa:Viviane Barbosa MTB - 28121 
E-mail: jornalismo@midiaconsulte.com.br



Siga a CNTTL nas redes sociais:
www.facebook.com/cnttloficial
www.twitter.com/cnttloficial
www.youtube.com/cnttl
 

Mídia

Filiados

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: