ES:Portuários da ativa e aposentados da Codesa fazem greve

Categoria é contra aumento dos valores de contribuição do fundo de previdência Portus

Por: Redação CNTTL com Suport-ES
Publicação: 14/03/2018
Imagem de ES:Portuários da ativa e aposentados da Codesa fazem greve

Foto: Suport-ES

Os portuários na Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa) da ativa, aposentados e pensionistas fizeram uma greve de 24 horas na terça-feira (13), em Vitória.

A categoria questiona o aumento da alíquota de contribuição ao plano de previdência Portus, que foi imposto pelo governo e patrocinadoras, sem a participação dos trabalhadores.

O aumento está previsto para começar a valer em 1º de abril, conforme apresentado por técnicos do Portus no auditório da Codesa nos dias 27 e 28 de fevereiro. O fundo pretende aumentar o desconto nos benefícios pagos aos aposentados de 10% para 28,77%. O valor pago pelos trabalhadores da ativa irá de 9% para 27,75% do salário.

Após ações dos beneficiários do instituto junto aos sindicatos, como o Sindicato Unificado da Orla Portuária (Suport-ES), que no Espírito Santo representa a categoria, o aumento pode ser adiado por 90 dias. Este foi o pedido feito na última quarta-feira, dia 7, ao interventor do instituto, Luís Gustavo da Cunha Barbosa.

A contrapartida apresentada para o adiamento do reajuste foi a negociação para que as companhias docas façam aportes financeiros para o equacionamento da dívida bilionária do instituto, que seria de mais de R$ 3,5 bilhões.

A decisão de greve foi tirada em assembleia conjunta do Suport-ES, Sindicato da Guarda Portuária (Sindguapor-ES) e Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Aquaviário no Espírito Santo (Aquasind) no último dia 5 de março.

“Não temos condições de arcar sozinhos com uma dívida gigante e que não é nossa. Queremos uma solução para o nosso instituto, mas não com o trabalhador tendo de contribuir quase quatro vezes mais, em alguns casos”, disse o presidente do Suport-ES, Ernani Pereira Pinto.

Intervenção

O instituto está sob intervenção do governo federal desde agosto de 2011 e já passou por mais de 10 prorrogações. O Portus encerrou o exercício de 2015 com um déficit técnico de R$ 3,572 bilhões. A dívida seria por conta de contribuições patronais atrasadas e dívidas da antiga Portobrás, que está judiciada.

O Portus tem 10.982 participantes e assistidos (aposentados e pensionistas), além de 25.000 dependentes. Uma das razões apontadas para explicar o rombo no Portus é justamente a falta de aporte no fundo por parte das patrocinadoras (as companhias docas). A inadimplência das Docas e decisões administrativas hoje questionadas levaram o Portus a acumular a dívida. Somente a União, como sucessora da extinta Portobrás, deve R$ 1,2 bilhão, referente à retirada de patrocínio.

 

Transportando CNTTL-CUT
Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação

Editora:Viviane Barbosa MTB - 28121 
Redatora: Vanessa Barboza MTB-74572
Assessoria de Comunicação: Mídia Consulte 
Redação: Imprensa /CNTTL :: Transportando o Brasil 
Siga-nos: http://www.twitter.com/cnttcut
Flickr: http://www.flickr.com/photos/cnttcut/

Mídia

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: