Brasília: Panfletagem alerta para necessidade do combate a AIDS e ao preconceito

Dezembro marca a luta mundial contra a Aids

Por: CUT/DF
Publicação: 07/12/2017
Imagem de Brasília: Panfletagem alerta para necessidade do combate a AIDS e ao preconceito

Foto: CUT/DF

Dirigentes da CUT Brasília realizaram na terça-feira (5) uma panfletagem na Rodoviária do Plano Piloto, na capital federal, para alertar sobre a AIDS, doença que o preconceito e a consequente exclusão social ainda se revelam como os principais vilões que impedem o diagnóstico.

Durante a ação, além de entregar preservativos, as dirigentes sindicais, por meio do diálogo direto, levaram informação e conscientização a quem passava pelo local. “Aids é uma palavra que choca e as pessoas têm até mesmo medo de falar. Mas, hoje, há tratamento e precisamos ter esse conhecimento. Por isso, estamos aqui, dialogando com a sociedade sobre a necessidade de se prevenir e combater esse vírus”, destacou a secretária de Saúde do Trabalhador da CUT Brasília, Selene Siman.

Dados de uma pesquisa chamada ATLIS (AIDS Treatment for Life International Survey ou Pesquisa sobre Tratamento para a AIDS em Âmbito Internacional), realizada com cerca de 3 mil pessoas soropositivas em 18 países, inclusive no Brasil, mostram que a maior apreensão dos pacientes HIV positivos está relacionada ao preconceito e exclusão social. Prova disso é que aproximadamente 34% dos entrevistados largaram a terapia por temer os efeitos colaterais e outros 26% sequer iniciaram o tratamento.

“Ainda hoje, os portadores do HIV sofrem muito. Além vírus que é devastador para a saúde física e psicológica, tem o agravante emocional, causado pelo preconceito. Isso é muito ruim para quem está lutando contra a doença”, avaliou a secretária das Mulheres Trabalhadoras da CUT, Sônia Queiroz.

Como ocorre a infecção?

O HIV, vírus da aids, pode ser transmitido pelo sangue, sêmen, secreção vaginal e pelo leite materno. Ou seja, pode beijar, abraçar, dar carinho e compartilhar do mesmo espaço físico sem ter medo de pegar o vírus.

Assim pega:
– Através de relações sexuais (anal, vaginal e oral) sem o uso do preservativo, caso o seu parceiro esteja contaminado.
– Através da troca de sangue.Se você recebe por exemplo, transfusão de sangue ou de derivados do sangue contaminados. Ou se vocês partilha agulhas e seringas contaminadas (no uso de drogas injetáveis, por exemplo)
– Instrumentos que furam ou cortam, que não estejam esterilizados
– Da mãe infectada para seu bebê durante a gestação, o parto e a amamentação .

Assim não pega:
– Através de ações comuns da vida cotidiana
– Através do beijo na boca, beijos e caricias.
– Alimentação, pratos, talheres, copos e outros objetos
– Pelo ar, tosse, espirro, suor, lagrima ou saliva
– Vestuário
– Assento de ônibus
– Aperto de mão ou abraço
– Contato com animais domésticos
– Picada de inseto
– Vasos sanitários, banheiros, chuveiros, piscinas
– Doação de sangue, em centros de coleta confiáveis.

Para realizar o diagnóstico é necessário fazer o exame em qualquer hospital ou centros de apoio e aconselhamento. Para saber qual o posto de saúde mais próximo da sua casa ou trabalho, ligue 136.

Fonte: CUT Brasília

 

Transportando CNTTL-CUT
Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação

Editora:Viviane Barbosa MTB - 28121 
Redatora: Vanessa Barboza MTB-74572
Assessoria de Comunicação: Mídia Consulte 
Redação: Imprensa /CNTTL :: Transportando o Brasil 
Siga-nos: http://www.twitter.com/cnttcut
Flickr: http://www.flickr.com/photos/cnttcut/

Mídia

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: