Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes

“Não aceitaremos de cabeça baixa os retrocessos. Esses fascistas terão muito trabalho”, afirma Jerônimo Miranda

Em entrevista ao Portal CNTTL, o presidente da Federação Interestadual dos Ferroviários da CUT, fala sobre 2º Congresso da categoria e a luta contra o governo golpista de Temer

Por: Vanessa Barboza com colaboração de Viviane Barbosa, Redação CNTTL
Publicação: 10/05/2017
Imagem de “Não aceitaremos de cabeça baixa os retrocessos. Esses fascistas terão muito trabalho”, afirma Jerônimo Miranda

Jerônimo Miranda Neto- foto: Marcos Vinicio Costa

A Federação Interestadual dos Ferroviários da CUT vai realizar nos dias 23 e 24 de maio o seu 2º Congresso, no centro de treinamento de líderes, no bairro de Itapuã, em Salvador (BA).

O Congresso vai fazer um amplo debate sobre os sindicatos e a luta contra o golpe de 2016 e os desafios futuros, reformas da Previdência e Trabalhista no atual governo golpista e análises das conjunturas nacionais e internacionais.

A atividade também vai eleger a  nova direção da Federação e definirá o plano de ações e lutas 2017/2020 da Federação. Participarão do Congresso todos os sindicatos de ferroviários cutistas, a CUT, a CNTTL e convidados de outras entidades. A Federação possui bases em todo o país e representa cerca de 25 mil trabalhadores.

Em entrevista ao Portal CNTTL, o presidente da Federação, Jerônimo Miranda Neto, avaliou o movimento grevista do dia 28 de abril, falou da importância da mobilização de todas as categorias contra os retrocessos de Temer e da necessidade de eleições gerais para dar um basta a essa era golpista no país. Confira a seguir:  

Portal CNTTL: Vivemos em uma conjuntura de ataques e retiradas de direitos históricos importantes para a classe trabalhadora. A Lei da terceirização geral, as reformas trabalhista e da previdência são alguns dos ataques. Quais serão os impactos para os trabalhadores ferroviários?

Jerônimo Miranda: A terceirização afetará os ferroviários, pois setores que são garantidos os empregos direto na empresa mãe, como maquinistas, manutenção e via permanente ficarão à mercê de empreiteiras. Isso vai gerar a diminuição dos salários e a precarização das condições do trabalho. Já a Reforma Trabalhista desregulamenta as garantias até hoje asseguradas em Lei. Infelizmente, ficaremos à mercê do capital, mas nós ferroviários estamos nos organizando para juntos com as outras categorias, não só enfrentarmos, mas mudarmos essa situação. Não aceitaremos de cabeça baixa os retrocessos. Esses fascistas terão muito trabalho.  

Portal CNTTL: Como foi a participação da categoria ferroviária na greve geral do dia 28 de abril?

Jerônimo: Nossa Federação convocou e a categoria respondeu dignamente à greve geral do dia 28 de abril, parando em suas bases em todo o país.

Portal CNTTL:  A CUT e as centrais sindicais aprovaram um novo calendário de lutas agora em maio, com a ocupação em Brasília. Qual a importância dos ferroviários se somarem a esse movimento?

Jerônimo: Somamos com todos aqueles que estão em lutas contra as reformas, a terceirização e o Governo Temer, portanto, também estaremos na ocupação em Brasília.

Portal CNTTL:  O governo Temer está com alta rejeição da classe trabalhadora, menos de 10% dos brasileiros o aprovam. Qual a importância de termos novas eleições gerais no país?

Jerônimo:  Somos a favor de novas eleições, não só porque o governo Temer está em baixa na popularidade, mas principalmente, porque somos contra um governo que deu golpe e está governando sem ouvir a sociedade. Fora golpistas, fora Temer!

Transportando CNTTL-CUT
Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca - Gibran
Agência: Mídia Consulte Comunicação

Editora:Viviane Barbosa MTB - 28121 
Redatora: Vanessa Barboza MTB-74572
Assessoria de Comunicação: Mídia Consulte 
Redação: Imprensa /CNTTL :: Transportando o Brasil 
Siga-nos: http://www.twitter.com/cnttcut
Flickr: http://www.flickr.com/photos/cnttcut/

Mídia

Canal CNTTL

+ Vídeos

Cobertura Especial

Parceiros

Boletim Online

Nome:
Email: